segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A CRIAÇÃO DA ESCOLA ESTADUAL JOSÉ GUEDES CAVALCANTI PASSA PELAS GRANDES LIDERANÇAS POLÍTICAS DE CABEDELO. Saiba como:


 
 
CAPÍTULO IV:


Há poucas informações concretas sobre a figura ilustre de José Guedes Cavalcanti. Afinal quem foi José Guedes Cavalcanti? Segundo relatos do escritor e dramaturgo de Alencar Pimentel, o governador Flávio Ribeiro Coutinho cumpriu o que havia prometido na campanha para governador do Estado da Paraíba. E no dia 31 de Janeiro de 1957 houve a instalação do município de Cabedelo e a nomeação de Antônio Ribeiro Pessoa, como seu primeiro prefeito. Com a morte do governador Flávio Ribeiro Coutinho, o vice-governador Pedro Moreno Gondim assumiu o cargo e logo nomeou o segundo prefeito de Cabedelo, Diógenes de Morais Martins. Depois este foi substituído e logo nomeou-se o terceiro prefeito de Cabedelo, José Aurélio Guedes, sobrinho do Coronel José Guedes Cavalcanti que tinha ligação de parentesco com uma tradicional família de políticos de Cabedelo e por suas atividades ligadas ao Porto da Paraíba, como sub-agente de companhia de navegação norte-americana. E para concorrer ao cargo de prefeito à Prefeitura Municipal de Cabedelo, na primeira eleição existente no municipal, o prefeito nomeado, José Aurélio Guedes, sobrinho do Coronel José Guedes Cavalcanti, teve que renunciar o cargo que ora ocupava para poder participar das eleições como candidato ao cargo de chefe executivo à Prefeitura Municipal de Cabedelo. E o seu lugar foi ocupado pelo comerciante cabedelense Augusto Francisco Pires. Nessa eleição, José Aurélio Guedes, sobrinho do Coronel José Guedes Cavalcanti, perdeu para o candidato Enivaldo de Figueiredo Miranda (PTB) e o seu vice-prefeito Francisco Figueiredo de Lima, que governou Cabedelo durante a gestão de 1959 a 1963, sendo o primeiro prefeito constitucional de Cabedelo.


A história do Colégio Estadual de Cabedelo se confunde com a história da emancipação política de Cabedelo de 12 de Dezembro de 1956. Mas o Colégio Estadual de Cabedelo só foi fundado em 02 de Agosto de 1962, cujo patrimônio educacional pode contar na sua criação com o apoio de ilustres filhos de Cabedelo, que estavam ligados ao Poder Executivo, como: Prefeito Enivaldo Figueiredo de Miranda (PTB) e o Vice-Prefeito: Francisco Figueiredo de Lima, eleitos para a legislatura de 1959 A 1963, e no Poder Legislativo, os vereadores da mesma legislatura, como: Altimar de Alencar Pimentel (PTB); Francisco Xavier Borges de Souza (PART); Luiz Bezerra Cavalcanti (PART); Luiz Ferreira de Góes (PTB); Luiz de Morais Fragoso (PART); Messias Pessoas da Silva (PTB) e o Pastor Francisco Pereira de Souza (PR) e o representante da sociedade civil, José Guedes Cavalcanti.

 
Legislatura de 1959/1960: o Presidente da Câmara Municipal de Cabedelo foi Luiz de Morais Fragoso; o Vice-Presidente Messias Pessoa da Silva e o Secretário da Mesa Diretora Francisco Xavier Borges;


Legislatura de 1961/1960: o Presidente da Câmara Municipal de Cabedelo foi Luiz Morais Fragoso; o Vice-Presidente Luiz Bezerra Cavalcanti e o Secretário da Mesa Diretora Francisco Xavier Borges;

 
Câmara Municipal de Cabedelo:

 
A proposta da criação do Núcleo Educacional de Cabedelo foi uma ideia surgida durante a sessão especial realizada pela Câmara Municipal de Cabedelo. Segundo o desembargador Dr. Júlio Aurélio Moreira Coutinho, ele ficou encarregado da elaboração de um projeto educacional para Cabedelo. Meses depois, a Câmara Municipal de Cabedelo recebeu do Dr. Júlio Aurélio Moreira Coutinho, o projeto da criação do Núcleo Educacional de Cabedelo, onde se formou uma comissão composta por vereadores de Cabedelo e representantes da sociedade cabedelense que se dirigiram até a capital do Estado, município de João Pessoa, tendo o referido projeto sido entregue ao Deputado Estadual Dr. Vital do Rêgo Filho, que logo providenciou a sua apresentação em plenário na Assembleia Legislativa. Após apreciação dos parlamentares estaduais o projeto do Colégio Estadual de Cabedelo, a proposta foi aprovada por unanimidade naquela Casa de Epitácio Pessoa, e em encaminhado ao palácio da redenção onde foi sancionado pelo governador Pedro Moreno Gondim, através do Decreto Lei nº 2.893 de 02/08/1962.

 
Em 1962, foi nomeado o primeiro diretor do Colégio Estadual de Cabedelo, Drª Helena Alves de Souza. Em seguida os primeiros professores e funcionários de apoio. Um dos primeiros secretários do Colégio Estadual de Cabedelo foi José de Arimatéa e Silva que assumiu o cargo de secretário a convite da juíza Dr.ª Helena Alves de Souza, cuja juíza no colégio também ocupou os cargos de diretora geral e professora de português, lecionando nas turmas da noite. Passado alguns anos como secretário do Colégio Estadual de Cabedelo, José de Arimatéa e Silva por razões pessoais não pode mais continuar prestando seus relevantes serviços à educação de Cabedelo, por isso teve que deixar o colégio em razão do seu interesse na militância política partidária, pois tinha pretensão de lutar por outros ideais para política cabedelense.
 

 

No ano de 1973, o município de Cabedelo finalmente pode inaugurar o novo prédio do colégio estadual que passou a ser intitulado: Escola Estadual José Guedes Cavalcanti uma justa homenagem proposta por Dr. Júlio Aurélio Moreira Coutinho, a um ilustre cidadão cabedelense que fora um grande baluarte no desenvolvimento econômico, na luta política e na construção de uma escola pública para os filhos mais humildes de Cabedelo.
 
 
 
Considerando que naquela época, existiam poucas escolas, a exemplo, o Grupo Escola Maria Pessoa, a Escola Robson Espínola, (pertencente ao Porto), o Grupo Escolar Pedro Américo e o Ginásio Imaculada Conceição que não davam conta da demanda de estudantes existentes no município. Muitos pais de famílias não tinham uma situação financeira suficiente para matricular seus filhos na capital João Pessoa, já que a escola pertence à matriz do Sagrado Coração de Jesus era particular e as bolsas que o Padre Alfredo Barbosa recebia do exterior não davam para contemplar a demanda de aluno carentes existente no município. Certamente está foi à razão principal para a existência de uma grande mobilização pode parte da sociedade cabedelense, pressionando assim as autoridades constituídas, poder executivo e legislativo recém-instalado no município para dar a resposta que justificasse a criação do município de Cabedelo, através decreto lei em 12 de Dezembro de 1956 e assim atender as necessidades urgentes da educação cabedelense.

O prédio da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, foi inaugurado no ano de 1973 e está localizado a Rua Municipalista Pedro da Silva Coutinho nº 120 - Bairro: Camalaú - Cidade: Cabedelo.
  
 

 
OBSERVAÇÃO: Estamos construindo esta belíssima história. Na escrita histórica sempre é possível erros, enganos. Por isso nos ajude a corrigi-los deixando suas observações e comentários para que este editor possa investigar e assim contribuir para que nossos alunos, alunas e comunidade em geral possa conhecer a história dos 50 anos do José Guedes Cavalcanti. (tadeupatricio@hotmail.com)

 
Edição: Tadeu Patrício, educador.

 

 

 

 

2 comentários:

  1. Continuo apreciando a aula como criança apreciaria um conto de fadas. Até que enfim "matei" minha curiosidade sobre a origem do nome do colégio.
    Fazia tempo que não sentia tanta ansiedade por postagens como ando sentindo ultimamente por estas.
    Parabéns Tadeu Patrício por históricas postagens.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, meu caro amigo professor Tadeu Patrício, por tão excelente reportagem histórica sobre a nossa cidade Cabedelo e a sua emancipação política; a criação e implantação da Esc. Est. José Guedes Cavalcante, onde tive a grata satisfação de servir entre ilustres e amorosos companheiros durante 25 anos de minha vida, como professora e diretora desta querida instituição.
    Carinhoso abraço.

    ResponderExcluir