domingo, 30 de setembro de 2012

ENTREVISTA COM LINDINALVA BEZERRA SOBRE SUA TRAJETÓRIA NA ESCOLA JOSÉ GUEDES CAVALCANTI:


CAPÍTULO – VI

 


Lindinalva Bezerra da Silva

Na entrevista feita com a professora Lindinalva Bezerra da Silva para comemorar os 50 Anos da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, tive a grande satisfação de ouvir histórias maravilhosas e outra um tanto trágica sobre a vida dessa grande educadora cabedelense, onde toda nossa conversa foi acompanhada pelo seu esposo e companheiro de grupo, Luiz Ernesto Batista, carinhosamente por mim chamado de Mestre Duquinha, um grande violonista que tenho a honra de tê-lo como músico na orquestra da Nau Catarineta, conhecida como a Barca, a mais tradicional manifestação popular de Cabedelo.


Descrever sobre a professora Lindinalva Bezerra da Silva, é incluí-la também no contexto histórico das comemorações do Jubileu, ou seja, 50 Anos da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti. Aqui não se trata de recordísmo como alguns leitores costumam citar nessa matéria, mas é registrar a história daqueles que vivem entre nós, os quais fizeram a diferença em nossa educação contribuindo assim para o engrandecimento da nossa Escola.

 
O objetivo da presente matéria é a valorização de todos aqueles profissionais da educação que dedicaram um bom tempo de sua vida pela defesa da qualidade da educação de Cabedelo. Com erros ou acertos administrativos podemos testemunhar que a Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, nunca encerrou as suas atividades por mau gerenciamento público de nenhum diretor; nunca deixou de ter um bom número de alunos frequentando a escola por falta de credibilidade junto à comunidade. E não tenha dúvida, aqueles que se esforçaram, souberam aproveitar os ensinamentos dos seus mestres, os conteúdos das disciplinas chegaram aos seus objetivos, a exemplo: as universidades públicas e privadas, os bons empregos conseguidos no mercado de trabalho, as carteiras marítimas tiradas para embarcar. Tudo isso graças às possibilidades que a escola pode proporcionar. Nesse sentido podemos afirmar que a gestão da professora Lindinalva Bezerra da Silva é vitoriosa e também deixou a sua marca em nossa história na escola.


Formada em Letras (Vernáculos); Pedagogia e Administração Escolar, Lindinalva Bezerra da Silva foi professora de português, funcionária, vice-diretora e diretora, prestou serviço na instituição de 06 de Maio de 1982 a 21 de Agosto de 1987, ou seja, por um período de 5 (cinco) anos e 3 (três) meses.
 

Questionada sobre as dificuldades existentes naquela época para desenvolver um trabalho na educação estadual, em especial no município de Cabedelo, relatou que, “na época as dificuldades encontradas foram inúmeras, porém procuramos solucionar os problemas mais imediato e existente como, a documentação da escola, a exemplo: arquivo incompleto e desatualizado; ausência de um supervisor educacional para acompanhar o processo ensino-aprendizagem; falta de merendeiras, onde a nossa gestão conseguiu duas merendeiras junto a Prefeitura Municipal de Cabedelo, lembra que foi uma parceria que deu certo. Também a Prefeitura Municipal de João Pessoa, cedeu uma funcionária de nome Sebastiana, que residia em Camboinha e prestou grandes serviços a Escola José Guedes Cavalcanti por um período de 2 (dois) anos; Ainda lembrou-se de um grande problema enfrentado em sua gestão que foi a greve do magistério, o que alterou o calendário escolar e por esta razão a escola perdeu vários dos seus melhores alunos, porque na época os pais achavam que aquela paralisação na educação poderia trazer vários prejuízos a educação dos seus filhos caso ficasse matriculado em colégio estadual; Outro fator seríssimo que caiu, justamente, em sua gestão, foi à exclusão da grade curricular nas disciplinas de Artes Industriais e Técnica Comercial, uma grande perda para a educação da escola pública. Assim sendo, os docentes foram inclusos em outras atividades e continuaram prestando serviço à escola, lecionando outras disciplinas”.

 
Para a professora Lindinalva Bezerra, foi muito positiva a educação desenvolvida na escola durante a sua gestão, visto que existia uma equipe de docentes bem qualificados e preocupados com o ensino-aprendizagem. Os funcionários eram fiéis colaboradores, valendo salientar o grande esforço da administradora adjunta, Lúcia Maria do Nascimento Araújo, residente nas proximidades da escola que dedicava todo seu tempo para colaborar com a escola. Foi à adjunta Lúcia Araújo que coordenou todo o trabalho de atualização do arquivo escolar. Contamos ainda com a experiência profissional dos adjuntos, Pedro Américo de Oliveira e da professora Aleginalda Maciel.

 
Outra funcionária que não poderia deixar de citar pela sua dedicação e apoio a educação escolar, foi à professora Maria Iná Guerra, Inspetora Técnica da SEC/PB, que inspecionava e, ao mesmo tempo nos orientava, tanto nas atividades administrativas, como nas atividades pedagógicas.

 
Questionada sobre as principais atividades educacionais, culturais e esportivas realizadas durante a sua gestão, a professora Lindinalva Bezerra, lembrou que, o calendário escolar sempre permitia programar atividade extraclasse e destacou a realização das seguintes atividades:


1.    Palestras sobre saúde, promovidas pelos professores, principalmente os da área de ciências e biologia;

2.    Realização de atividades das Datas Comemorativas e Cívicas;

3.    Páscoa dos alunos e alunas, professores e funcionários;

4.    Atividades artísticas e culturais, destacando-se o Dia Internacional do Folclore, sob a coordenação das professoras Evilásia de Sousa Lourenço e Lourdes Paiva;

5.    A preparação religiosa dos estudantes da escola que contou com a colaboração da Irmã Stella da Sagrada Família. Na época foi preparada uma turma de alunos e alunas para receber a 1ª Eucaristia, através das professoras e catequistas, Maria Regina (Regininha), Maria José (Zeza) e Maria das Neves (Neves).

6.    A colação de grau da turma de concluintes do 2º Grau (atual Ensino Médio), intitulada Turma Augusto dos Anjos, que foi realizada na Matriz do Sagrado Coração de Jesus, cuja à missa foi celebrada pelo pároco Ernando Luiz Teixeira de Carvalho e logo após a Santa Missa, todos os concluintes receberam os seus certificados, uma iniciativa da professora Ana Luíza Feitosa (Português), que teve a participação do coral, sob a regência da professora de arte Marieta Resende.

7.      As atividades esportivas, a exemplo os campeonatos Futebol de Campo, Futsal, outras modalidades e as corridas (maratonas) programadas pelos professores de educação física, (Luizinho, Marcos, Zeilda) sob a coordenação do professor Clemildo Ferreira Gomes. Naquela época, os alunos participavam com grande entusiasmo e conseguiram êxito em várias modalidades esportivas trazendo para escola, dezenas de troféus que ainda hoje podem ser conferidos nas exposições existentes na diretoria da escola.

8.    A semana da Pátria, a escola celebrava com a realização do desfile cívico, onde os alunos e alunas ficavam entusiasmados com a chegada da Banda da Escola Técnica Federal da Paraíba convidada para acompanhava à escola no desfile cívico pelas principais avenidas de Cabedelo. No ano seguinte, surgiu à ideia da revitalização da Banda Marcial do Guedes, e para isto, foi organizada uma festa com a participação da famosa banda de baile da capital “Os Tuaregs”, e toda a comunidade se envolveram nesse evento. Foi escolhida uma comissão organizadora e realizamos uma animada festa, cuja renda deu para comprar 13 (treze) instrumentos musicais na loja Tamborim de Ouro, em João Pessoa e assim iniciou-se a revitalização da Banda Marcial do Guedes, que depois completou com outros instrumentos musicais conseguidos através de doações de grandes colaboradores da escola. Nos anos seguintes a escola passou a desfilar com sua própria banda.

           
Perguntada sobre os professores que fizeram parte do quadro escolar durante a sua gestão, a ex-diretora Lindinalva Bezerra, afirmou que poderia se lembrar do nome de alguns, mais os sobrenomes de todas as pessoas era impossível recordar, tendo em vista que fazem 25 anos do seu afastamento da instituição. Mas arriscou lembrar os seguintes:


Português
Irene, Clesilda, Angelita Teixeira, Loide, Ivone Matos, Ana Luíza Feitosa, Wilma Cunha e Lídia;
Inglês
Telma Jorge (in-memória), Camilo (Léo), João Miguel, e Maria José;
Educação Artística
Evilásia Lourenço, Lourdes Paiva, Marieta Resende e Sérgio Brito;
História
Genésia, Maurilena Cavalcante, Luzia, Agostinho, José Marques de Brito, Maria José (Zeza) e Maria das Neves;
Geografia
Batista, Luzia, Regina Celi e Maria Regina;
Sociologia
Valdete Cardoso (in-memoria);
Ciências
Inês, José Roque, Dulce, Roseleide Farias e Alberto Magno;
Matemática
José Cordeiro (Zenito); Cornélio, Edmundo, Bomfilho, Renato, Adalberto Oliveira, Fernando e Antonio Pedro;
Biologia
José Francisco Régis, José Roque e Alberto Magno;
Física
Lucas, José Carlos, Jaelson, e Adalberto;
Química
Pedro Falcão e Magali Venâncio;
Educação Física
Galdino, Clemildo Gomes, Haildelene, Zeilda, Maria Eugênia e Maria Dinalva;
Arte Industrial
Ronaldo Pedro, Jaelson Lima, Antonio Pedro, Walmarques, Marcelo Monteiro e Carlos;
Técnica Comercial
Zilda, Socorro e Francisco de Oliveira;
Biblioteca
Pastor Francisco;
Secretaria
Fernanda Gomes, Eloísa, Miriam Tereza, Carmonisa, Helena, Vicentina, Esdras, Almerita, Sandra, Severino, Tércio Dornelas, Edilson, Luiz Carlos Régis, Eutímio Pinto Ramalho, Gisélia e Otávio Cornélio;
Auxiliar de Serviço
Severo, Pedro Alcântara, Avani, Nazaré, D. Engrácia, Antônio, Arnaldo, Mário, Sr. Lopes e Elinor;
Merendeiras
Elisa, Maria das Dores e Sebastiana, este funcionários cedidos gentilmente pela Prefeitura Municipal de Cabedelo.

 
Questionada sobre as razões da sua saída da direção da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, a ex-diretora foi enfática ao afirmar, “eu não pertencia a um grupo político de Cabedelo na época; Ser politicamente correto muitas vezes encerra um alto preço pessoal”.

 
Questionada sobre a importância que a Escola Estadual José Guedes Cavalcanti tem para a educação em Cabedelo, a ex-diretora reafirma o que outros entrevistados têm dito nessa questão, que a escola é um Centro Educacional que tem prestado grandes serviços à comunidade cabedelense, descobrindo novos talentos na educação e inclusão digital, merece, portanto, receber as atenções da Secretaria da Educação do Estado, objetivando ampliações das ações educativas e o maior apoio para nossa educação e cultura em Cabedelo.


Para finalizar a nossa conversa com a ex-diretora Lindinalva Bezerra, ela quis deixar a sua mensagem positiva para as comemorações dos 50 Anos da Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, principalmente para os jovens estudantes que ora se preparam para vida nesse educandário; alguns deles ingressaram na marinha mercante ou na marinha de guerra, outros se aperfeiçoaram na Escola Técnica Federal, hoje IFPB – Instituto Federal da Paraíba, inclusive com uma unidade em Cabedelo e na Universidade Federal da Paraíba (UFPB); outros certamente procuraram se destacar na política local. Assim a comunidade de Cabedelo vai se expressando através dessa instituição, quando é sabido que pela escola tem passado um celeiro de talentos que, atualmente muitos outros estão fora de Cabedelo, trabalhando e honrando nossa escola, o município e a Paraíba.

 
Portanto, almejo que a Escola Estadual José Guedes Cavalcanti, continue progredindo, através desse trabalho nobre e profícuo que é a educação. Por fim, parabenizo e me congratulo com todos àqueles que contribuíram e ainda contribuem para o desenvolvimento da educação em Cabedelo. E não poderia deixar de parabenizar, a todo o corpo docente, discente e administrativo, que se irmanam em busca de novos investimentos para a nossa educação e cultura. Que Deus abençoe a todos e a todas.

 
Entrevista com Lindinalva Bezerra da Silva

Reportagem e Edição: Tadeu Patrício – Educador.

 

 

Um comentário:

  1. Comecei a ler nomes de parte dos colegas de trabalho que convivi e ainda convivo, Aguardo próxima postagem com ansiedade. Abraços

    ResponderExcluir